segunda-feira, 1 de julho de 2013

Vital Brasil - Cédula de 10.000 Cruzeiros - Iconografia

A temática da cédula de Cr$ 10.0000,00 (dez mil cruzeiros) é dedicado a um médico que, notabilizado pelos seus estudos sobre animais venenosos e pela descoberta e produção de soros antiofídicos, é considerado um dos maiores cientistas sul-americano e benfeitor da humanidade - Vital Brazil

Sobre a cédula
Anverso
No anverso, temos efígie de Vital Brazil em calcografia, baseada na fotografia de 1919 conforme imagem reproduzida abaixo. Á esquerda, uma gravura que representa cena clássica de extração do veneno, tarefa básica para a produção de soros. À direita, temos um elemento de segurança, desenho da cabeça de uma urutu, marca a coincidência perfeita entre o anverso e reverso. O fundo de segurança (ofsete), desenvolvidos mediante computação gráfica, baseiam-se em fotos de escamas de jararacas e cascavéis.
       Cena de extração do veneno (calcografia)          Cabeça de uma urutu (registro coincidente)
No reverso, um painel calcográfico traz a representação de um serpentário, com destaque para a cena de uma cobra muçurana devorando uma jararaca. Essa imagem, além de representar um tema de especial instigação científica de Vital Brazil, constitui uma alegoria da luta do bem contra o mal, servindo de "ex-libris" e símbolo de toda a obra do homenageado. Os fundos de segurança (ofsete) baseiam-se em detalhe dos movimentos de serpentes e suas diferentes epidermes. O registro coincidente - cabeça de uma urutu - fica à esquerda da cédula.
Reverso 

Cobra muçurana  devorando uma jararaca
Motivo Central em calcografia
Especificações básicas:
Órgão emissor: Banco Central do Brasil
Empresa Impressora: Casa da Moeda do Brasil
Dimensões básicas: 140 x 65 mm
Cores predominantes:  Cinza e laranja
Período de circulação: 26.4.1991 a 15.9.1994
Projeto gráfico: Marise Ferreira da Silva e Júlio Pereira Guimarães
Gravuras manuais: Zélio Bruno da Trindade (anverso) e Mário Dittz Chaves (reverso)
Processos de impressão: Calcográficos, ofsete e tipográfico

Homenageado
Vital Brazil mineiro da Campanha (1865-1950) lutou com grandes dificuldades financeiras para estudar, e exerceu diversas profissões humildes até formar-se na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, em 1891. Havia pouco tempo que Pasteur aplicara a primeira vacinação anti-rábica, e a bacteriologia e a imunologia viviam tempos profícua efervescência, o que muito estimulou o interesse do jovem médico pela pesquisa cientifica.                        
                                                    
Após atuar no combate a epidemias que grassavam na época, Vital Brazil dedicou-se intensamente a trabalhos de pesquisa. No limiar do novo século, participou em São Paulo da fundação e foi nomeado o primeiro diretor do Instituo Butantã, entidade que viria a representar um marco da ciência experimental e cujas pesquisas revestiam-se de espírito de vanguarda a exemplo do Instituto Pasteur de Paris.     
                                                        
Fotografia de Vital Brazil - 1919
Acervo do Museu Vital Brazil
Descobridor da especificidade dos soros antiofídicos, Vital Brazil desenvolveu os primeiros soros comprovadamente eficazes contra os venenos crotálico (cascavéis) e botrópico (jararaca e outras espécies), assim como soros polivalentes, solucionando o problema terapêutico do ofidismo no continente americano. Aliando qualidades de administrador às virtudes de cientista, fez o Butantã funcionar com pequeno quadro de pessoal e conseguiu, sem maior aparato burocrático, propagar o uso do soro antiofídico, distribuí-lo pelo interior do País e estabelecer eficiente intercâmbio com os fazendeiros e divulgar medidas profiláticas.

Em 1919, deixou a direção do Butantã e fundou na cidade de Niterói, o Instituto de Higiene, Soroterapia e Veterinária, entidade que recebeu seu nome e que dirigiu até os anos 40, dela fazendo outra das maiores instituições científicas sul-americanas. O Instituto Vital Brazil, também pioneiro na produção de soros, vacinas e medicamentos, tornou-se, como o Butantã, centro de geração de conhecimento na área de imunoterapia.

A obra de Vital Brazil tornou-se internacionalmente conhecida, apesar de sua divulgação ter encontrado opositores até sob o argumento de que imagens associados a serpentes constituíam "propaganda contra os foros de civilização do Brasil". Na época, esses e outros obstáculos foram enfrentados com serenidade e perseverança pelo cientista, autor da frase: "A Medicina não é suficiente para fazer uma nação saudável e feliz. As moléstias têm sua raiz na ignorância".

Fonte de consultas: 
Banco Central do Brasil
Museu Vital Brazil
Instituto Vital Brazil
Wikipédia

10 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir